sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

TRANSANDO COM O BOMBEIRO NO BANHEIRO DA PE15 EM OLINDA



Bom, essa história não é minha, também não posso afirmar nada sobre a veracidade, ela é apenas uma história contada numa rola de amigos e eu reproduzi para a galera que gosta de bater uma punheta, nomes são fictícios e algumas informações foram alteradas. Qualquer conhecidencia é só conhecidencia. A foto não tem nada haver é apenas uma ilustração.

Era um domingo, resolvi fazer um programa diferente e fui com uns amigos para a praia, nós estávamos tomando um sol na praia de Maria Farinha em Recife, Eu e dois amigos, Paulo e Andre, por volta de 16 horas resolvemos ir embora, Paulo morava em Olinda e o André em Igarassu, como trabalhava junto com André e pegaríamos as 19h segui com ele no seu carro até sua casa, depois seguiríamos para Recife e deixamos então  Paulo no terminal de Pelópidas em Paulista e assim estaria tudo certo.

Só que ai esqueci algo com Paulo e acabei sabendo de uma grande trepada com um dos grandes fetiches dos homens, os bombeiros. Assim que Paulo desceu do carro, entrou no terminal, por volta de 10 minutos me toquei que tinha esquecido algo com ele, então comecei a ligar pra ele, mas não conseguiu, Deixei pra la e por volta de 1 hora depois liguei, nada, depois 2 horas e nada. Já estava preocupado quando por volta das 21 horas ele me ligou e me pediu desculpas, como ele mesmo diz sexo pra ele era prioridade, então quando eu estava ligando, ele estava transando num banheiro do Terminal da PE15, famoso em Olinda e depois foi trepar em um motel, via minhas ligações, mas só depois de tudo iria me contar...

Segundo Paulo, ele pegou um ônibus em Paulista e quando chegou ao Terminal da PE15, seu terminal final, ele foi ao banheiro, quando entrou tinha um cara moreno, um pouco gordinho, por volta de 170m e 75kg, um pouco gordinho e gostoso, e mais de 30 anos. O cara estava no mictório e mostrando uma rola morena e deliciosa pra quem aparecesse, até que Paulo que não perde uma apareceu, Paulinho não perdeu tempo, se encostrou ali com ele um fisgando o cacete do outro por uns minutos até que o cara (O bombeiro) o chamou ele pro banheiro, lá logo eles se pagaram e foi aquele amasso, o cara queria rola no rabo, e Paulinho não perdeu tempo e deu, mas tinha muita gente e eles ficaram com medo de serem pegos, até porque o cara era uma autoridade, então eles resolveram sair. Lá fora do banheiro, o rapaz falou que era casado, morava ali perto e era bombeiro da cidade, por isso eles teriam que sair dali rapidamente. Pior, ele estava brigado com o marido e doido pra trepar. Meu amigo Paulo que não perde uma foi, saíram do terminal e fora o cara já estava com o cara já tinha deixado o carro esperando. 

Quando Paulo tava saindo de lá estava de boca cheia de água e pensou logo em comer o cu de um bombeiro, que aquele era o bolo com cereja do ano.

No percusso eles já foram se pegando, tiraram os cacetes pra fora, quando Paulo foi logo caindo de boca na rola do Bombeiro, mas o cara e que ele deveria guardar segredo. Paulo avisou que ele poderia ficar tranquilo, que essa informação só mexia com seu tesão. Eles foram então pra mim motel e já entraram no quarto se pegando, para surpresa de Paulo que adorava comer um rabinho, o cara ficou logo de quatro na cama e foi logo pedindo rola, era um bundão enorme e apesar do cara ser casado com macho, ele tinha jeito de homem. Foi uma transa muito doida, chupa daqui, chupa dali, o cara com as pernas grossas e voz de macho com aquela bunda grande pedindo rola deixava Paulo ainda mais atiçado.

Paulo comeu o cara de frango assado, olhando para aquele peito forte, sabia que aquele cara tinha um que de másculo, depois de quatro novamente com aquele bunda pra cima, colocou ele pra mamar muito até que gozou na sua cara!

De lá eles seguiram para a Praia, uma boa conversa e pra marcar novas trepadas que eu vou contar em breve!

Bom amigos, a história parece que aconteceu, mas não sei se é verdade, pois não presenciei, eu apenas ouvi falar, então espero que tenham gozado! 

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

O CASEIRO NEGÃO COMEU MEU CU NO CURRAL | TIRANDO LEITE DE VACA



Voltei gente, essa será uma seção de quatro novas histórias verídicas vividas por mim ou por amigos que me contam pelo Whats (83)99853-4472, essa foi vivida por um amigo do Recife, também dou do Recife, ele me contou num bar e eu quis dividir aqui com vocês!

Meu nome é Luan, nasci na periferia da Grande Recife, ainda guri dei o cusinho para vários moleques da rua e alguns amigos do meu pai, que iam lá em casa falar com ele de mentirinha, sabendo que não tinha ninguém em casa e me mandavam chupar suas rolas. Eu adorava saber que era desejado por todos!

Naquela época nas redondezas de onde morava existia um curral, no qual trabalhava um negão, Seu Inacio, já de mais idade, devia ter uns 40 anos, casado, uma especie de homem macho, ele:
 Negão, forte, trabalhava cuidando dos animais, tudo nele era forte pelo trabalho, grande e grosso. Ele um verdadeiro machão, morava próximo com sua família e adorava tomar uma cachaças nos bares, se eu tinha muita gente comendo meu cusinho, ele era o rei das raparigas.

Eu lembrei dessa história porque apesar de dar tanto, ele era como um troféu que eu ainda não havia conquistado. Eu sempre que passava por ele, via-o de shortinho, com aquele peitão delicioso a mostra. E uma pica enorme que era a delicia mais escondida que queria sentir na vida até então.

Seu Inacio cuidava de muitos animais, dentre eles várias vacas e a molecada afora ir lá pedir uma canequinha de leite, e muita gente como minha mãe comprava sempre pela manhã um litro para nossa família. Seu Inacio fazia parte de nossa diversão, até que um dia ele levou uma rapariga para comer no curral, e nos decidimos curiar o que estava acontecendo, fomos toda a gurizada caladinha brechar o que estava rolando naquela casinha. Quando chegamos perto um amigo abriu um buraquinho numa das janelas e cada um de nos foi ver um pouquinhos enquanto tiravamos a piroquinha para bater uma punheta, um por um foi ver o que estava rolando lá dentro até que eu vi o que sempre quis ver, Seu Inacio, um negão enorme, peladão, um bunda enorme, deitado entre as pernas daquela puta e metendo muito rola, eu não queria sair mais dali e os guris começaram a me bulinar. Fizemos silencio e um por um (Quatro) moleques comeram o meu cu e eu ali imaginando a piroca daquele negão em mim.

Aquela história mexeu muito comigo, uns dias depois, numa tarde em nosso campinho, proximo do curral, estava começando uma chuva, eu sai do campinho, mas a chuva apertou próximo ao curral, o Seu Inacio estava ordenhando uma vaca, eu entrei e comecei a conversar com ele, perguntando, pedindo, enchendo o saco do cara, até que ele irritado, me perguntou:

_Você fala demais guri, vem cá que eu vou de ensinar a tirar leite da vaca pra parar sua boca!



Eu adorei a ideia, me posicionei entre as pernas do Seu Inacio, ele pegou minhas mãos, levando até as tetas da vaca, me ensinando o movimento, aquele “colo” aconchegante, ele trajava um shorts, eu também, na época não tínhamos o costume de usar cuecas, enquanto ele me ensinava, o leitinho saia legal, dentro do balde, mas quando ele soltou minhas mãos para que eu ordenhasse sozinho, era um desastre, espirrava leite para tudo que é lado. Naqueles momentos o esporro era certo, ele se irritava e mandava eu fazer direito, mesmo eu argumentando que não sabia, ele brigava, nessa “briga”, eu esfregava a bundinha no colo do Seu Inacio, que já estava ficando com a piroca dura. 

A chuva aumentava, e Seu Inacio me chamou pra entrarmos num quartinho (o tal que ele levava as quengas dele), lá havia um colchão velho enrolado num canto, ele abriu o colchão, e falou que iria me ensinar de uma outra forma, ele já havia ouvido falar que eu gostava de quebrar o galho dos outros moleques na rua, pra mim aprender com ele, seria fácil. Quando Seu Inacio tirou aquela piroca preta pra fora, eu levei um susto e ele disse:

_Vem cá! Ordenha esse touro aqui, vem?

Ele me deitou no colchão, Seu Inacio de camiseta branca, com uma barriga forte e enorme e uma pica que nunca tinha visto na vida, pernas grossas mesmo, era a coisa mais deliciosa que já tinha visto na vida. Ele veio pra cima de mim e mandou:

_Vem, eu já sabia que tu era a putinha da rua e eu sempre quis dar leitinho pra você!

Mamei muito, mas estava com receio que ele quisesse meter aquela piroca em mim, era muito grande, eu iria perder o cusinho que todos desejavam, mas ele me beijou na boca e pós aquela pica no meio das minhas pernas, o que me impressionava era que ele fudia minhas pernas como se eu fosse uma mulher. Meu cuzinho só tinha experimentado pirocas de minha idade, ou de senhores com dotes menores amigos do meu pai, a maior doi do padeiro e assim mesmo não era tão grande assim. Pedi a todo custo que ele não colocasse no meu cu, reclamei, chiei, chorei, mas chupei, chupei muito, até que ele me convidou a ser sua putinha e que a cada dia ele iria me preparar para ser sua vaquinha! Me aliviei, punhetei até o negão me encher a cara de porra, me fazendo lamber até ficar tudo limpinho. Ele urrava feito um lobo no cio, e ainda me ajudou e gozar...

Como foi bom!

Depois daquele dia, Seu Inacio me pediu que ficasse indo ao seu curral para brincar comigo sempre que eu quisesse. Essa foi a primeira piroca grande que experimentei, mas no cu só foi a cabecinha ou melhor, o cabeção, que pareceu me rasgar, mas me colocar para ordenhar e chupar, Negão adorava, virei freguês, quando queria, ele me dava duas qualidades de leite.

Essa história foi veridica e aconteceu anos atrás, sou do Recife e quero escrever novas história, me conta a sua pelo Whats: (83) 99853-4472

domingo, 2 de outubro de 2016

DEI O CU PARA O CARRETEIRO E O AJUDANTE NO BANHEIRO DO POSTO DE GASOLINA



Como todos sabem todos os meus contos são reais e verídicos, essa é mais uma historia de um amigo que eu vou narrar em primeira pessoa. Quem mora em Recife e região e quer curtição entre em contato pelo Whats: (83)99853-4472

Fui até um posto de gasolina nas margens da BR101, na Grande Recife, cheguei mais ou menos umas 20h e já tinha alguns caminhoneiros parando de rodar, vários carreteiros procurando um banho nos postos. Parei o carro ali e desci, fui para uma lanchonete onde já tinha vários homens se alimentando. Sentei em uma mesa de canto onde podia ver tudo o que estava acontecendo.

Estava querendo leite e prestava atenção quais os homens que tinha pacotões, não sabia se iria rolar alguma coisa, estava torcendo pra que sim, até que chegaram dois homens daquele jeito. Depois fiquei sabendo que eles estavam fazendo transportando um caminhão de colchões. Encarei o pacotão dos dois e eles perceberam, quando pegaram seus lanches sentaram de cosas pra mim na mesa da frente. Eu então peguei o celular e comecei a fingir que estava falando com alguém dando pinta de que era bicha. Um deles olhou pra trás pra ter certeza das besteiras que eu estava falando e piscou o olha, com o tempo o outro se levantou e foi pegar algo no balcão, quando voltou fez questão que eu visse que ele estava com o cacete duro.

Aquela brincadeira começou a me dar água na boca, fui também no balcão da lanchonete e pedi um picolé, comecei a chupar bem gostoso olhando pra eles, eles estavam me olhando, tinha um mais safado que eu já sabia que iria rolar alguma coisa.

Resolvi então me levantar e voltar para a mesa que eu estava, mas desta vez, esbarrei num deles, fingindo que foi sem querer, pedi desculpas como uma putinha e fui saindo, olhei para porta de vidro e pude ver que um deles se levantou, então segui bem devagarinho para o banheiro, quando percebi que ele saiu da lanchonete e me viu eu entrei no banheiro. Rebolei minha bunda e ele veio como um pescador atrás de um peixão. Fisguei! 

Naquele dia eu tinha feito toda a higiene posivel, tava tudo bem limpinho pois eu queria pica mesmo. 

Quando entrei no banheiro, percebi que já não tinha mais ninguém, parei no numa area para urinas e baixei a calça e a cueca até em baixo, deixando minha bunda completamente exposta. Quando ele entrou, olhou todas as cabines, parou do meu lado e disse:

_Tá querendo pica né puta?

Gente, que voz áspera de macho safado, eu estava entregue, ele olhou para o lados e enfiou o dedo de uma só vez no meu cusinho. Ele percebeu que estava bem limpinho e completou:

_Hummm...Cheiroso, hoje é dia de cávia! Vem mama safada!



Cai de boca na pica daquele homem ali mesmo. Ele tinha mais ou menos 175m, 82kg, forte mas do trabalho pesada, apesar da humildade era um cara bem bonito. Fortão! Quando ele tirou o cacete pra fora eu enlouqueci... Era grosso, grande e muito gostoso. Gente, eu estava envolvido naquela situação. Um cabra macho, fudedor de buceta me dando a pica dele pra eu chupar e aquele banheiro onde a qualquer momento poderia chegar alguém. Eu chupei bastante, chupei dos sacos, chupei sua barriga e seus peitos. Quando ele me pediu:

_Vira ai, vou colocar uma camisinha e vou arrombar seu cu, puta!

Eu fiz tudo o que ele me mandou fazer, me segurei nas paredes sujas daquele posto de gasolina vagabundo, empinei minha bundinha. Aquele cara então falou:

_Que bunda gostosa, nem toda mulher tem!

E colocou aquele cacetão no meu cu. Eu estava indo as estrelas, Aquele macho super safado, um corpo delicioso me fudia com muito carinho. Foi muito gostoso, ele mordia meu pescoço, me dizia que eu era demais e me beijava a boca. Pena que não demorou e ele anunciou que iria gozar e gozou, foi muito bom, mas fiquei com chateado porque ele não deixou eu gozar e ficou com o pau dentro do meu cu até amolecer totalmente, quando tirou o cacete e me disse:

_Fica ai puta, agora é a vez de eu vigiar e meu amigo vir te foder!

O outro era mais coroa, tinha seus 45 anos, moreno também e um pouco barrigudo, parrudo também, forte com a vida passada. Mais uma vez fui tratado por puta. O cara tirou o pau pra fora e ordenou:

_Chupa puta!

Era um cacete enorme e normal, o que acho delicioso, não iria entrar rasgando, mas iria até o fundo. Chupei muito, muito e depois de 10 minutos. Dito e feito, mas uma vez empinei minha bunda com as mãos naquela parede até que ele enfiou de uma só vez. Eu gritava, aquele pau foi muito fundo, tava dentro mesmo de mim e eu quase não conseguia me segurar. Aquele cara me chamava de cachorra, de puta e eu gemia, gemia muito, então ele meteu a mão no meu pau, ai não teve jeito, gozei geral, gozei muitoooooo...

Ele vendo aquilo gozou também, encheu a camisinha de porra. Deu um tapa na minha cara e me mandou vestir e sair porque ele e o amigo dele precisavam tomar banho!

Gente, naquele dia dormi muito bem, todo assado e feliz por ter sido fodido por dois homens machos e gostosos. Se você quer curtir também e é da região de Recife fale comigo no whats: (83) 99853-4472

DEI O CU PARA O MOTORISTA E O COBRADOR DA KOMBI NO MEU DA CHUVA



Bom amigos, esse não é um conto meu, mas de um amigo, sei da veracidade pois conheço a pessoa envolvida, vou narrar em primeira pessoa para ficar mais fácil de entender...

Moro em Recife, sou casado, discreto, trabalho na Paraíba e no interior de Pernambuco, preciso sempre viajar e por isso acontecem tantos boas histórias comigo, se quiser me conhecer meu whats (83) 99853-4472

Hoje em dia está complicado demais sair de casa para o trabalho, seja de veiculo publico ou particular. No final de tarde quando estou em Recife, costumo pegar os meus transportes pra chegar em casa (van ou Kombi), sempre na kombi vou até o itinerário final da minha cidade na grande Recife. Fato esse que me ajuda sempre a conversar com os cobradores e motoristas, nem todos, mas alguns dá até pra admirar uma certa beleza e macheza.

Não é sempre que tenho a oportunidade de pegar a kombi com o mesmo cobrador e motorista, mas desde o inicio da semana por coincidência peguei os mesmos até a sexta-feira. A semana foi puxada e estressante, até mesmo a mulher não quis foder comigo a semana toda porque estava menstruada, a unica coisa boa foi a dupla de motorista e cobrador que levou até em casa desde a segunda-feira. Pude observar a beleza do cobrador, um negro, mais ou menos 170m, uns 75kg, cara de macho safado, rindo pra todo mundo que entrava na kombi, uns 35 anos e uma bunda linda que de lá no final do carro dava pra ver naquele mesmo short de jogador que usou durante a semana. Dava pra ver que existia um pacote saborosa ali sempre quando ele dava o troco das passagens e abria a porta.

Já o motorista era ainda mais gostoso, um morenão de barba por fazer, cara de mecânico, suado e sujo do dia de trabalho, uns 45 anos, sempre de short jeans, pernas grossas (Pude observar no dia que fui na frente) e nesse dia não pude ficar sem prestar atenção no pacotão no meio das pernas.

Para minha felicidade assim que desci na parada na sexta-feira, o cobrador me abordou e disse que o movimento estava muito fraco, pediu para esperar dentro da kombi deles para ajuda-los até que eles conseguissem pelo menos mais uns 4 clientes e sair. Demorou uns 20 minutos e não apareceu muita gente. Sentado na frente saímos, eles com apenas poucos passageiros, então uma chuva começou a cair, eles passavam na paradas e sempre sem ninguém devido o temporal que só aumentava, não demorou muito até que a kombi ficou vazia, só eu, o cobrador e o motorista. A chuva aumentou muito (Soube depois que alagou muitas casas por toda Grande Recife), então cabia apenas a mim ficar observando o cobrador todo molhado com aquele picão naquele short fininho ou olha para a mala do motorista pelo retrovisor, parecia que ele estava percebendo pois estava pegando muito no pau.

A chuva aumentou, estava difícil transitar pois alguns trechos estavam alagados. O cobrador e o motorista estava com muita raiva porque além de poucos clientes ainda estava passando por essa situação. Então o motorista soltou uma piadinha:

_Cara, numa chuva dessas só é bom uma coisa. Uma chupada no meu pau, porque isso tá demais!

Ai o cobrador completou:

_Só se fosse no meu também, num ganhei dinheiro, mas ganhava uma chupada e um cusinho!

Eu entendi que aquilo era comigo e não podia perder aquele oportunidade e soltei:

_Caras, se faltar uma boca eu to aqui!

Ai o motorista completou:

_Eu num disse que ele gostava "..."!

E o cobrador olhou pra ele e começaram a rir, então o motorista completou:

_Já é! Vamos ali!

O motorista desviou o caminho e seguiu com a kombi para um local que eu acho que eles já usavam como "abatedouro", apesar de ser perto de tudo era uma especie de sitiosinho, eles entraram num cercado, tinha uma casa perto, mas tudo fechado, pararam a kombi num cantinho escuro e a chuva caindo. O motorista me mandou ir para trás e também foi. Sacou a sua rola pra fora da cueca preta toda suada e molhadinha com aquele pré-gozo transparente, olhou pra mim com cara de macho e disse:

_Vem viadinho, chupa aqui minha rola!

Era um cacete muito grosso apesar de pequeno (Vou por a foto). Em torno dos 16cm. Cai de boca no pau do negão engolindo tudo até a garganta levando o negão a loucura, ele tirava a pica da minha boca e batia com ela na minha cara dizendo:

_Você chupa melhor que muita mulher.

A kombi estava impregnada com cheiro de rola, o motorista pediu que eu ficasse de quatro no banco, queria ver a minha bunda, prontamente atendi o mesmo.



Tirei a calça e empinei o meu rabão e o cobrador me deu vários tapas na bunda mostrando para o motorista o meu cuzinho apertadinho e disse:

_Cara to com a rola toda melada, se prepara que hoje você vai ver o que é rola!

A kombi era um pouco apertada, o motorista então me mandou tirar a roupa, pois conhecia o lugar, mandou-me ficar pelado e disse:

_Essa é a noite da pica preta, vai chupar carai!

Tirei a roupa, quando olhei os dois já estava pelados na meio do mato. O motorista então disse:

_Vem cá! Chupa a gente vai!

Eu chupei os dois por um bom tempo no meio da chuva até que o motorista disse:

_Vira o cusinho que eu quero cair de língua!

Ele metia língua com tanta muita força, sem pena! Enquanto isso eu mamava o cobrador, já era por volta de 19h de uma sexta-feira. Aquele água caia e eu estava sendo arrombado por uma língua! O Cobrador mais safado me levantou e me deu um beijo na boca. Aquilo me levou ao delírio. Ele chupava meu ouvido e dizia:

_Hoje você vai levar vara!

O cobrador pediu para o motorista deixar ele abrir os caminhos, o motorista foi então para a kombi fumar, o negão cobrador 
me encheu de tapas deixando a minha bunda quente e roxa, dizendo que eu era um viado gostoso e que eu iria levar naquele dia muita rola no rabo.

O motorista então se afastou e na punheta ficou só observando a ação do cobrador!

Ele pegou a rola e enfiou só a cabecinha na minha boca e mandou eu colocar a língua pra fora, tentei segurar na rola dele para chupar e o mesmo deu um tapa na minha cara dizendo que quem mandava ali era ele e o motorista.

Tava meio engasgado com a chuva e a pica, pedi desculpas e ele me pegou pela cabeça e socou a rola todinha na minha boca mandando eu mamar olhando nos seus olhos:

_Cuidado! O tesão do negão tá tanto que eu vou encher sua barriga de porra!

O cobrador não demorou e gozou toda a minha cara com aquela porra, foi demais, então era hora do motorista entrar em ação, disse:

_Agora é a minha vez de enfiar pica nesse rabo!

O cobrador entrou na kombi de porta aberta e ficou fumando naquela chuva enquanto era hora do motorista. O motorista encapou a pica e veio pra cima. Não tive nem tempo de chupá-lo, o negão sentiu que eu estava com medo de encarar a vara do motorista e começou a me esculachar dizendo:

_Vem cá que eu via você olhando meu cacete, agora você vai ver o que ele tem!

Ele me puxou para o canto onde tinha uma pedra, sacou a sua rola e começou a me dar uns tapas na cara, com a água da chuva eu ficava ainda mais excitado. ele me mandou ficar de pé na frente dele, e me observava como um soldadinho de chumbo, me dava tapas na cara, batia na minha bunda e avisou:

_Fica de quatro na pedra que agora eu vou te arrombar!

Ele meteu muito forte, meteu com fartura, aquele macho estava me fudendo como se eu fosse a ultima puta do mundo. A chuva era excitando, ele também, porra queria gozar, precisava gozar. Depois de uns 15 minutos ali, a chuva foi parando, ele sentou numa pedra e me ordenou que sentasse no seu cacete. Para minha supresa quando sentei e enfiei meu cu naquela pica ele me deu um mega beijo. Eu fudia meu cu naquela vara e ele me beijava. Não deu pra segurar, era muito tesão e a gente gozou, mas eu gozei como poucas vezes eu gozei na vida!

Ficamos ali parados, o cobrador fumando seu cigarro na van, e eu ali descansando na pica daquele macho safado! A gente ainda se lavou na chuva e depois eles me deixaram na porta de casa. Ninguém nunca soube de nada do que aconteceu. Com o tempo o cobrador mudou, mas ainda sai umas vezes so com o motorista e uma vez encontrei o cobrador na cidade, fiz a proposta de sairmos só nos dois, mas ainda não tivemos tempo!

Esse conto foi real de um amigo que mora na Grande Recife. Mas quem quiser fazer nossas histórias comigo ligue ou zap (83) 99853-4472

TRANSEI COM O TECNICO DE SEGURANÇA APÓS REUNIÃO COM OS MOTORISTAS DE ÔNIBUS



Olá! Tudo bem... Vamos a mais um conto, mais uma vez aviso que eles são sempre verídicos, vividos por mim ou por amigos que me fofocam e eu conto tudo. Como sempre digo, sou macho na rua e puta na cama...

Bom, esse cara já conheço a algum tempo, ele é Segurança do trabalho, 30 anos, casado, 170m e uns 75kg. Ele é casado, o conheci quando fui convidado para um encontro de motoristas e cobradores de ônibus de Olinda e Recife. Durante as palestra sempre tem o cafésinho e não teve como não reparar para aquele macho, bem vestido, pacotão na calça jeans, macho, moreno claro e forte, mas não de academia, tinha o corpo másculo mesmo. Eu dei umas três olhadinhas para ele, mas sem paquerar, observando mesmo, até que ele na ultima vez olhou pra mim e me viu olhando. Desviei o olha na mesma hora mas foi tarde. Fiquei ali, longe e não olhei mais. Na próxima palestra eu sai pois estava chata e como eu não podia ir embora, pois meu chefe precisava de uma pessoa participando até o final eu fiquei. Quando de repente eu estava na anti-sala, local do cafésinho e quando olha quem vem saindo, o moreno gostoso. Ele estava falando no celular, eu eu fiquei ali no cantinho, até que ele desligou o telefone e se aproximou de mim e disse:

_E ai, que palestra fulera... sai, aguentei não o muido!
_Também cara, muito chato e eu to aqui só pra agradar meu patrão, ele quer que eu participe!

Ficamos ali conversando, juro que não estava mais olhando para lugar nenhum, nem paquerando até que ele disse:

_Cara, eu queria mesmo era tá tomando uma cervejinha gelada e comendo um cusinho!

Gente, aquilo doeu na espinha e eu completei:

_Cara, eu também, isso aqui tá muito chato, mas eu tenho que levar o certificado para meu chefe, se não eu ia também...
_Também o que? Tomar cervejinha e comer cu? Ai num ia dar certo, ou alguém come ou alguém dá...

Caímos na risada, levei pelo lado de que foi uma brincadeira, aquele macho não tinha cara de que curtia putaria com homem. Até que ele disse:

_Cara, tu quer o certificado? Só Isso?
_Só, na verdade meu chefe é quem quer?
_Cara, sou amigos dos caras do sindicato que estão organizando o evento, perai que eu resolvo, me dá teu nome completo.

Escrevi tudo direitinho num papel e em 10 minutos o cara voltou com o certificado, eu agradeci e disse a ele que iria embora na mesma hora, então ele disse:

_E ai, eu pensei que agora era a hora da cervejinha?
_Sério?
_Eu pensei que era brincadeira sua, que estava só me ajudando a ir embora. Então que horas você pode?
_Agora mesmo! Vamos, meu carro tá lá fora!




Nessa hora meu coração disparou, é (pois agora somos amigos) um macho sensacional, eu estava indo tomar uma cervejinha com ele e pensando também na brincadeirinha que ele falou. Fomos para Olinda, para um barzinho na Praça do Carmo. Ele pediu uma cerveja e sentamos, continuamos a conversa que já vinha do carro, sem nenhuma maldade, coisas de homens estressados... No meio da conversa ele disse:

_Cara, não era brincadeira, hoje eu queria mesmo era comer um cusinho. To muito estressado e faz muito tempo que não como, vi você me olhando lá na palestra. Acho que você gosta!
_Que nada cara, eu tava olhando para tudo, e vi que quando olhei pra você, você também me olhou!
_Pôh! Cara, eu vi que tu tava olhando para meu pacote, tem bronca não. Tá bom aqui a coisa!
_Tá cara, tá bom, mas não curto!
_Mas nunca teve vontade de curtir?
_Já sim, mas tenho medo, sou casado!
_Cara, sou casado também, como você tá vendo, sou macho, não nos conhecemos, nem temos amigos em comum. Bora fuder?
_Cara, vamos pra onde?
_Motel, bora?
_Cara, complicado!

Dei uma de que era muito macho para o cara não perceber que eu já estava entregue a situação e completei:

_Cara, guardando segredo absoluto, vamos lá!
_Bora!

A gente  se levantou da mesa e fomos direto de carro para o motel, meus amigos, o tesão era demais, meu pau tava quase explodindo, no caminho foi silêncio absoluto, mas quando entramos no quarto a coisa mudou completamente. O cara me agarrou, um macho, com todas as ferramentas de macho e me deu um beijo, coisa demorada, uns 5 minutos, me jogou na cama e pediu pra tomar um banho. Quando ele voltou era um verdadeiro espetaculo, vou descrever, pelado o homem era melhor que sorvete de chocolate no deserto:

_Parrudo, braços fortes e pernas grossas, pelos apenas poucos no cacete, cacete grosso mediano, sacão no meio das pernas grossas, olhos claros e o melhor macho! Senti que não podia perder aquela oportunidade, ele avançou pra cima de mim, mas era a minha vez do banho, fiz um chuca rapida e voltei, pronto pra ser puta daquele macho...

...Deitamos na cama e como ele disse que estava muito estressado ele queria carinho, queria beijos e a gente ficou naquele amasso, pica na pica, peito no peito, chupa aqui, chupa acolá. A pica dele era linda, grosso, mal cabia na minha boca e não era muito grande, sinal que eu iria dá a vontade sem sentir dor. Fizemos um 69 gostoso demais, ele chupava meu cusinho e eu seu cacete até que ele me pediu pra sentar em cima do seu pau. Eu então olhei pra aquele belo exemplar de macho deitado na cama, com o cacetão na mão, esperando meu cusinho, meti devagarinho e com muito jeitinho, sentei naquela pica e foram 5 minutos de muito prazer, estava nas nuvens, era uma pica muito gostosa e eu queria gozar a todo momento (Claro, ele estava de camisinha - Sempre) até que anunciei:

_Cara, eu vou gozar!

E não segurei, gozei muito, muito mesmo, sujou ele todo e aquilo foi um estimulo muito grande para ele, ele não segurou e gozou no meu rabo! Cai por cima dele e pra minha surpresa com todo aquela porra entre nos ele me deu um beijo e me agradeceu:

_Cara, to muito estressado, estava necessitado de um momento assim!

Continuamos nos beijando, ainda fudemos mais uma vez. Ficamos agarradinhos e falando dos nossos problemas, fiz uma massagem nele e quando saimos ele me deixou perto de casa. Os dias se passaram e hoje eu sou um amigo confidente dele, já nos encontramos mais uma vez (Conto depois) e como ele não quer acabar o casamento dele, nem eu o meu a gente fica se desestressando quando nós podemos!

Quem for da região do Recife ou de João Pessoa, pode me chamar no zap: (83)99853-4472 quem sabe não desestressamos juntos! (Obs: Não faço programa, curto sexo com macho!) - As fotos no conto são minhas!




TRANSEI COM O MOTOQUEIRO PARRUDO QUE CONHECI NO SHOPPING BOA VISTA EM RECIFE | FOMOS A SAUNA



Olá! Amigos... Tinha prometido estes contos semana passada, mas tava trabalhando muito, quem acompanha meus contos sabe que são todos verídicos, este também é...

Quem já conhece sabe que sou macho na vida real e uma puta na cama, mas pra esse cara, não tive como ser macho. O conheci no shopping Boa Vista, região central do Recife - PE, num dia em que estava esperando minha mulher sair da universidade. Entrei num banheiro e ele estava lá, com uma camiseta de um time da cidade, aparentando uns 35 anos, 180m e uns 95kg, parrudo, forte, macho, barbudo, cara de macho. Parei no mictório e olhei pra ele, uma aliança enorme no dedo e deduzi "É macho!". Mas ele olhou pra mim e pra minha pica, foram 30 segundos de muita excitação até que ele fez sinal com a cabeça pra sairmos. 

Fomos até uma área livre do shopping e paramos para conversar como dois amigos, eu disse o que  estava fazendo e ele me contou que  também estava esperando a esposa que estava com o filho no cinema, ele me disse que era gerente de posto de gasolina e que estava ali passeando por eram 20h e a esposa só sairia da seção as 21:40h. No meio da conversa eu mesmo propôs:

_E ai, vamos pra onde?
_Cara, eu quero gozar e você com essa pica saborosa e essa bunda deliciosa eu não posso perder essa oportunidade.
_Cara, minha esposa também sai da universidade depois das 21:30h. Bora fuder?
_Vamos... Topa ir para a Sauna Boa Vista?
_Vamos!
_Você anda de moto?
_Sim!
To de moto ai, to com o capacete na esposa e do menino. Vamos!

Gente, quando a gente chegou num estacionamento na rua ali perto da Conde aquilo me excitou, uma moto parada, aquele homem com aquele pacotão numa calça preta. Ele me deu um capacete, sentou e ai foi minha vez de ver aquela bunda enorme e sentir aquele cheio de macho. Me sentei, ele ligou a moto e eu me senti ainda mais puta, fomos então para a sauna. Chegando lá, entramos separados e muita gente ficou nos olhando. Acabará de chegar ao recinto dois caras machos que não aparentavam ser gays. Eu vi nessa hora um senhor babando e olhando. Tiramos a roupa nas cabines e seguimos para o chuveiro. ali mesmo já começamos nos pegar, dois caras barbudos, ele com o peito peludão e parrudão e eu estava entregue a ele. Ficamos ali nos beijando e nos abraçando, o meu corpo tava pegando fogo e o dele também. Era uma pegação explosiva, até que percebemos que estávamos numa area que todos poderiam ver e fomos para o chuveiro da sauna a vapor. Lá fomos para o cantinho mais escuro e meus amigos, foi inesquecível. Ele me jogou na parede, segurou no cacete e ordenou:

_Chupa!



Eu cai de boca na pica daquele macho e mamei, mamei bastante, ele me virou, e caiu de boca no meu cu, mamou muito também, aquela língua era completamente dura, parecia um cacete, ele mordia minha bunda, dava tapinhas. Até que ele se levantou, passou sabonete e foi me agarrando por trás. Aquele peito cabeludo, aquele barriga saliente, aquilo me enlouquecia. O cara estava com muito tesão e me deixava com mais tesão ainda. Aquela pica estava no meu anelsinho e ele como um artista sabia como não penetrar sem camisinha, mas sabia brincar na portinha. Eu queria gozar sozinho, sem segurar no cacete. Ele chupava meu pescoço, minha orelha e para minha surpresa levantou meus braços e caiu de língua nas minha axilas, até aquele local eles chupou como ninguém. Foram 40 minutos de muita pica e de muito tesão, até que ele me pediu para pegar uma camisinha, colocou e pra essa foi a prova de que uma grande trepada não precisa ter penetração. Ele encapou, meteu no meu cu, eu rebolei bastante e ele gozou, me virou e eu gozei em cima dele. Nos nos lavamos fartamente aos beijos, até que vi que eram 21:20h. Fomos correndo de volta ao shopping. Ele foi pro canto dele e eu pro meu, trocamos telefone, mas o que me deixou na saudade como disse não foi a penetração, mas foi o jeito daquele cara me apalpar, me chupar e me beijar!

Quem é de Recife ou região, também de João Pessoa pode entrar em contato comigo pelo Whatsapp: (83)99853-4472

As fotos do conto são minha!




MAIS UMA TREPADA COM O TAXISTA PARRUDO NO TAXI NO MATO



Olá! Estava com saudades de todos, queria contar minhas histórias (todas veridicas), mas estava sem tempo para contar pra vocês. Quem acompanha meus contos sabe que sou casado, macho, mas sempre uma puta quando se trata em transar com homens machos, vamos ao conto!

Galera, quem leu um dos últimos contos, sabe que eu conheci um taxista no interior do nordeste, fudemos muito na primeira trepada que tivemos e como ele é casado eu pensei que não fosse rolar mais nada entre nós. Até que semana passada eu estava no trabalho na cidade dele quando no whatsapp apareceu:

_Cara, tá por onde?
_To aqui em ...
_Tem como a gente se vê hoje?
_Gostou em?
_Gostei muito, foi incrivel, já bati várias punhetas pensando na sua bunda, ela é incrível!
_Cara, na mesma hora? No mesmo lugar?
_Fechado! Te espero lá...

...E o dia passou muito devagar, tava com saudade daquele taxista muito gostoso, macho, parrudo, cerca de 175m e 85kg. Além de tudo simpático, macho e um cara do bem!

Chegada a hora, fui ao banheiro da empresa, limpei minha bundinha, passei um creme e deixei bem gostosinha e foi ao seu encontro.



17:30h eu estava lá e para minha felicidade ele não atrasou, chegou no taxi (Isso me excita), todo limpo, perfumado e fomos para nosso cantinho, nosso matinho perto da cidade, é uma estrada de chão batido, cheio de arvores e mato pra todo lado, o safado já sabe que nesse cantinho a essa hora nem ladrão passa. Chegando lá ele parou o cara e para minha surpresa levei um tapa na cara e ele disse:

_Macho, tava com muita saudade de você, você mexeu comigo! Sai do carro...

Dessa vez ele não quis que eu o chupasse, ele estava louco pra me penetrar, se encostou na mala do carro e tirou o pau fora e ordenou:

_Tira a calça que eu preciso comer sua bunda!

Gente eu enlouqueci, tirei a calça ali no meio do mato, fiquei só de meia e camiseta naquela escuridão, aquilo me excitava ainda mais, séria puta dele ali no mato. Não perdi tempo, aquele cacete tava mais duro que da outra vez e eu logo meti minha bunda naquele mastro... Ele metia com muita força, com muito tesão, aquele taxista macho tava muito virado em mim, ele me queria, me chamava de puta safada. Até que ele pediu:

_Vem pra cá!

Ele abriu a porta de trás do táxi e disse:

_Fica aqui de quatro!

Eu fiquei e ele meteu muito, meteu com muita força, aquele homem com aquela pica estava enlouquecido por mim e por minha bunda, eu era a fêmea dele. Então ele me levantou e pediu pra sentar no banco do carro com as pernas pra fora e disse:

_Senta aqui no meu mastro!

Eu sentei, aquele pica entrou direto no meu cu, tava muito gostoso, aquele pau dento da minha bundinha e ele segurando no meu cacete, eu rebolando naquele pau, dizendo que estava gostoso, que ele sim era um macho, eu gritava de tesão e ele pedia para eu gritar mais que aquilo mexia com ele, depois de uns 15 minutos assim reboando naquele pica ele então me pediu pra me deitar no banco do carro, abriu minhas pernas, pegou um paninho e limpou meu cu, se ajoelhou no chão batido e caiu de lingua no meu cusinho. Gente, eu enlouqueci, aquele macho tava me fudendo como uma puta mesmo, ele estava louco e me levando a loucura. Tava quase gozando e disse a ele que não iria aguentar, até que ele se levantou e me deu um tapa na cara:

_Puta safada, eu vou gozar dentro do seu cu (Claro, com camisinha)

Me pós de frango assado e meteu, eu deitado ali naquele banco de trás do carro, no meio do mato e aquele taxista macho e parrudo me fudendo. Cara, era muito gostoso, foram uns 10 minutos até que ele tirou o cacete de dentro do meu cu, tirou a camisinha e gosou fartamente em cima de mim. Gente, nessa hora eu não aguentei e gozei também. Foi muito bom, muito, muito bom...

A gente entrou no carro, eu ainda pelado, fomos seguindo para a civilização, enquanto eu me vestia. Agora estamos mais amigos que nunca. Mas sabemos que somos casados e rola apenas sexo sem compromisso!

Se você é de Recife, João Pessoa e região vamos conversar no Whatsapp (83)99853-4472

Segue abaixo uma foto minha, macho na rua, puta na cama!


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

FIM DE SEMANA DE SEXO COM 2 TAXISTAS, 1 MOTOQUEIRO ROKEIRO, 1 TECNICO de SEGURANÇA e 1 CARREITEIRO



Olá! Amigos do Blog...

Meu fim de semana foi bem agitado, estava no Recife e tenho quatro novas histórias pra contar para vocês. Foi simplesmente espetaculoso. Quinta com um TAXISTA casado que me comeu no mato, sexta a tarde com um gordinho, ROQUEIRO e motoqueiro mega gostoso na sauna Boa Vista, na noite, alias, na madrugada uma foda deliciosa e com muito beijo com meu amigo SEGURANÇA DO TRABALHO e muito safado, no sábado outro taxista negão delicioso do Recife que era louco pra me dá o cusinho, o cara é casado, muito másculo, mas gosta de dar e comer e no domingo voltei para João Pessoa de carona com um CARRETEIRO que me comeu no posto fiscal dentro da boleia do caminhão.

Gente, como foi muita coisa, vou tentar postar um por dia essa semana, também vou tentar ser fiel aos acontecimentos, desde o inicio, desde quando eu conheci os caras até eles gozarem, por isso vou gastar um pouco para escrever 5 histórias, mas você podem se deliciar com meus outros contos, lembrando que eles são em sua maioria verídicos, escritos por mim e vividos por mim ou vividos por amigos que me contaram as suas safadezas!

Gozem muito, mas sempre de camisinha e com honestidade nada de fazer mais a ninguém!

Na foto abaixo uma foto da minha bundinha com fio dental feito pelo carreteiro que me comeu no posto fiscal na divisa de Pernambuco e Paraíba.

Então aguardem!

terça-feira, 20 de setembro de 2016

DEI O CU PARA O VIGILANTE NEGÃO DE MADRUGADA NA EMPRESA ONDE ELE TRABALHA




Bom, sou do Recife, tenho 176m e 86kg, gosto de safadeza com homens de todas as especies, desde que sejam machos, não curto exposição. 

Se quiserem entrar em contato para novas aventura o skype ou email: contosdebana@gmail.com. Para quem mora na Paraíba ou Pernambuco ligue para o editor: (83) 99853-4472

Conto adaptado de uma história real.

Isso acontece no inicio desse ano...Era uma noite. Lá pelas 21:00 horas eu já estava de saco cheio de ficar em casa, como estou sem carro, resolvi dar uma volta a pé e lembrei de um barzinho perto de casa que abre todos os dias da semana. Então fui lá. Mas tava fechado, decidi ir ao centro do Recife, com certeza lá teria, então, vamos ao buzão...


Chegando no centro do Recife, próximo a conde da Boa Vista resolvi ir até a Boate MKB, quem conhece Recife, sabe que é uma região animada, chegando lá tomei uma cervejinha na Dinha e como não queria entrar na Boate resolvi ir parar numa sauna que fica próximo.



Fui então caminhando, já passava da meia noite, quando passei em frente a um prédio que não sei dizer direito se era uma empresa pública ou privada, estava na calçada quando avistei um vigilante morenão, quase coroa, uns 42 anos, todo de preto, uma mala (Foi a primeira coisa que prestei atenção), todo fortinho. Ele estava ao telefone, eu fui passando e olhando, ele ao telefone me olhando também, quando passei por ele olhei para a mala e fui seguindo quando ele se despediu da pessoa no telefone e falou:

_Para olhar assim, o preço é tomar leitinho!

Gente! Aquilo me arrepiou que doeu da espinha na nuca ao rabo. Eu olhei pra trás quando ele falou:

_Com um fiozinho dental desses você me acaba!

Caramba, eu me acabei de vergonha, agora me veio a lembrança de que estava em casa e tava teclando com um cara na internet de calcinha, estava com um short jeans, chinelo e camiseta, mas deu pra ele e claro outros verem que estava de calcinha, mas que bom, chamou a atenção dele. 

Dei um sorrisinho maroto e parei olhando para trás, ele estava babando com a mal no pacotão, ele então me perguntou o que eu estava fazendo ali, disse então que estava indo na casa de um amigo que morava perto. Ele então me mandou ter cuidado:

_Tenho cuidado com o lobo mau, uma ovelhinha assim solta muita gente vai querer comer.
_Tomará que alguém queira mesmo...

Ele deu uma risada e me olhou com cara de safado e completou:

_E se o lobo mal já estiver de olho você vai correr?
_Depende de como é o lobo mal
_Um lobo bem experiente, macho, com um super pica pra você ovelhinha safada!


Ele me pediu para ficar esperando ali na calcada que ele iria fazer uma rota de 10 minutos no prédio e já voltava. Foram os 10 minutos mais demorados do último século... Como demorou. Enfim ele voltou, olhou de um lado para o outro na rua e fez sinal com a cabeça para eu segui-lo. Nós entramos no prédio e fomos para uma salinha onde havia uma TV, uma mesa com duas cadeiras, um colchãosinho no chão, um fogão, uma frigobar. Era um lugar empoeirado, mas com aquele super macho eu estava nas nuvens. Ele abriu o frigobar e pegou uma cerveja de lata e me mandou beber e foi bebendo a dele.

Eu fui pra cima dele, já queria fuder, alias, ser fudido quando ele disse:

_Tenha calma!

E me deu um tapinha safado na cara.

_Senta uma prostituta, sou um coroa casado, já sou avô. Nunca posso colocar minha pica em todo cú!

Ele então me contou da sua vida... Seu nome é João, casado, tem quatro filhos adultos, e 3 netos, tem 42 anos e sua esposa tem 40. Disse que tem muito fogo pra queimar, mas sempre que esta em casa a esposa tá trabalhando nume lanchonete, que se acaba na punheta ou raramente aparecer uma patricinha da região querendo dar pra um negão.

Bebi a cerveja e também fui falando sobre mim, 176m e 82kg, macho, até então discreto, antes do fio dental no buzão.

Ele disse que fazia tanto tempo que não tinha comido a esposa que nem lembrava mais, mas que era louco pra comer o cusinho dela, mas ela não deixava.

Porra, eu estava estourado o fio dental e o short, não podia avançar nele, ele é quem dava as ordens e aquilo me deixava ainda mais tentado e excitado. 

Pedi a ele pra ir ao banheiro e notei que o João esbugalhou os olhos quando viu o volume em meu short, ficou ainda mais animado com o meu volume e vi que a noite poderia ser ainda mais proveitosa. Eu sorri e como já estávamos íntimos conversando eu fui quem falei:

_Você ainda não viu nada do que eu posso fazer...

Na volta do banheiro, quando passava ao seu lado, ele me olhou e sorrindo e encheu a mão em minha bunda dizendo que ia mostrar quem é que o coroa tem. 

Eu pensei que a coisa iria demorar mas o coroa não suportou ficar olhando minha bundinha. Ele meteu o dedão bem dentro do meu cusinho e fungou no meu pescoço. Me virei e olhando pra ele e sorrindo eu disse:

_Você é muito safado, seu cachorro!

Ele tava muito feliz porque sua mão entrou fácil no meio da minha bunda e completou:

_Entrou só um dedo cachorra, quero colocar mais que os dedos

Eu disse que não estava de calcinha, mas sim de fio dental, ele perguntou de não incomodava o meu reguinho e eu soltei a piada:

_Seu cacete quando entrar no meu reguinho não vai incomodar, imagina uma calcinha.

Tava explodindo com aquela situação então resolvi tomar uma atitude, me virei de costas pra ele e empinei minha bunda. João sorriu e ficou olhando. Deu um gole na cerveja e ficou me olhando. Baixei o short, e comecei um strip tease, fui tirando o short, tirando minha camiseta até ficar só de fio dental. Ele estava perdendo o controle da coisa precisava de um cu... Resolvi explorar o macho:

_Você achou minha bunda grande?
_Sim!
_Você achou minha bunda gostosa?
_Sim!
_Você quer que eu vá embora?
_Não!
_O que é que o coroa vai fazer?
_Eu vou cair de língua nesse cu, safada!

 Deixei minha bunda toda de fora olhei por cima do ombro. O João alisava sua rola e foi abrindo o ziper da farda de vigilante e admirando minha bunda. Fui andando de costas em sua direção, ficando a uns 30 cm de seu cacete. João tentou me agarrar por trás e agora era eu quem tentava fugir, mas não deu, João me agarrou, me pegou por trás. Minha bunda estava entregue aquele pedaço de carne enorme que ele tinha nas pernas. Ele então se abaixou e ficou a admirar minha bunda. Olhou meu cuzinho, passou um dos dedos na entrada e deu uma cuspida nele, sentia a saliva escorrer pela entrada do meu cu e foi indo em direção ao meu saco... João estava facinado por minha bunda e eu louco pra ele me ter por completo... Então ele meteu a língua no meu cusinho e foi me fazendo soltar gemidos. Seu bigode arranhava minha bunda, sua língua deslisava pela entrada do meu cu que piscava enquanto eu rebolava na cara do macho! 

Não sei se ele estava com mesmo tesão que eu, mas ele estava me comendo com a lingua como se fosse a ultima puta do mundo...

Eu sentia sua língua no cu e o mesmo todo babado. Eu gemia e rebolava na cara do João pedindo:

_Vai macho, vai meu macho, chupa meu cu!

Eu rebolava e gemia como uma puta no cio com seu cliente mais apaixonado. O João lambei cada vez mais forte e seu bigode era um estimulante natural e estava enterrada no meu rabo. Ele levou uma das mão à frente, passando por entre minhas pernas e começou a alisar meu saco e meu pau que estava duríssimo, me levando à loucura. Aí sim me descontrolei e comecei a gritar, a gemer:

_Faz assim não, João, eu vou gozar, para...
_Goza minha puta, goza muito, goza vai...

Ele continuava com a lingua dentro do meu cu quando soltei uma das maiores gozadas da minha vida. Foi muito gostoso, muito bom, por 30 segundos ele aliviou, ficou a me olhar e logo voltou a chupar, não sei o que estava acontecendo, mas meu cacete não baixou


Depois me abaixei, sem flexionar os joelhos. Na posição que fiquei meu cu ficou ainda mais escancarado e a língua do João ia mais fundo ainda. Me virei de frente para o João que agarrou meu pau e o enfiou todo na boca. Ele enfiava e tirava meu pau da boca com muito tesão, como se não fosse um caceta, mas uma buceta e mais uma vez seu bigode me estimulava arranhando minha pica. Ele limpou toda a gala que tinha na pica ressem gozada. Ele agora me chupava e com os dedos massageava meu cusinho. Ele ficou bolinando meu cu com um dedo até introduzi-lo de vez no meu cuzinho e eu gritava:

_Isso é que é um machooooooo!

Soltava gemidos quando senti aquele dedo áspero e grosso me invadir. Enfiava e tirava o dedo arrancando gemidos de mim. Eu rebolava enquanto tinha minha pica em sua boca e um dedo no meu cu. Não me aguentei de tesão a pós alguns minutos avisei que ia gozar novamente. No entanto o João continuou mamando e eu pedindo:

_Para, por favor, para que eu vou gozar novamente!

Quando meu pau começou a pulsar eu o arranquei da boca do João e gozei na sua cara. Aquele macho, parrudo e muito gostoso estava então todo sujo de gala de outro macho. Seu bigode estava cheio de porra. Nem permiti que o João se limpasse e caia de boca na boca dele, comecei um beijo gostoso e fui limpando tudo com minha língua. Resolvi que era hora de agir mais uma vez, fiquei de joelhos em sua frente, peguei a jeba enorme dele e comecei a admirar:

_Ela agora e minha!

Que pau enorme foi o que vi, grande, grosso, cheio de veias, com alguns pêlos brancos, é um pau negro com a cabeça enorme e rosada. Mamei feito um bezerro com fome no sertão. João se contorcia enquanto eu engolia seu cacete. Ele segurava minha cabeça e forçava pra eu engolir cada vez mais seu caralho que já estava todo babado, com baba escorrendo pelo saco e caindo no chão. Fiquei meio de lado e de quatro de forma que o Valter pudesse alcançar meu cu enquanto eu o mamava. Ele dava tapas em minha bunda, enfiava do dedo no meu cuzinho rosado e falava:

_Você é a melhor puta que já apareceu aqui!

João começou a gemer dizendo que ia gozar. Então eu parei com o boquete e disse que era pra ele gozar no meu cu. O pau do João é enorme e muito grosso, era um desafio pra mim, eu tinha que agasalhar aquele pau no meu cu. Me levantei e fiquei de costas pra ele, que estava sentado na cadeira,e comecei a sentar em seu pau que estava lubrificado apenas com o melado de baba. Vi que doeria muito então escancarei o cu e disse pro Valter cuspir nele. o Velho tarado o fez e eu tentei novamente, contudo continuava a doer muito. Foi então que João se levantou e foi até o fogão, onde havia um pote de manteiga. Ele lambuzou seu pau de manteiga, lambuzou mesmo e ainda veio com outro tanto na mão. ele passou na entrada do meu cu e introduziu um dedo lambuzado pra dentro do meu rabicó, deixando-o meladinho. Então eu deitei o tronco sobre a mesinha, ficando com o rabo levantado, o João veio e encostou o pau na entrada do meu cu e vagarosamente foi enfiando o pau. Como doeu! Sentia aquela pica arrombar meu cu, rasgar minhas pregas, escancarar meu rabo. Senti cada centímetro de pau entrar no meu cu. O Valter metia e falava:

_Que cu quentinho minha cachorra, que delicia!

Eu queria gozar pela terceira vez em menos de 30 minutos de foda!

Depois que eu relaxava ele voltava a meter. Foi um alívio quando senti seus pentelhos encostarem na minha bunda. Sorri por saber que tinha agasalhado aquele caralho no meu cuzinho apertado. Aos poucos o ele ia metendo e tirando o pau e eu ia me soltando, rebolando, gemendo, piscando o cu com seu pau dentro. 

Passado algum tempo eu já gemia alto, pedindo pica: 

_Vai negão safado, come o cuzinho da sua putinha, fode meu rabo com esse caralho enorme!"

Eu dizia isso e João ficava louco, metia sem dó fazendo meu corpo balançar, empurrando a mesa pra frente. Ao lado da mesa havia um espelho por onde eu observava a cara de prazer que o João fazia a cada estocada que dava no meu cu. 

Ele arqueava o corpo pra frente, abria a boca e fazia cara de prazer. Aquele garanhão arfava na minha nuca, dava tapas na minha bunda que já ardia e estava vermelha de tanto levar tapa. Ele apertava meu rabo e enfiava o caralho no meu cu e falava:

_Quero seu cu todo ardido por um mês pra você saber que quando quiser pica aqui tem um macho! Sua puta!

Eu me abracei à mesa devido à violência com que o João enterrava a pica no meu cu, fazendo um barulho estrondoso de nossos gemidos e das metidas dele no meu cu. Quando ele diminuiu o ritmo eu levei as duas mãos ao meu rabo e abri a bunda dizendo: 

_Olha caralho o que você ta fazendo com meu cu, ta fodendo o cu da sua putinha safado, mete nesse cuzinho guloso"

Mandei ele tirar o pau do meu cu e abri a bunda dizendo: 

_Olha seu puto, você arrombou meu cu, olha o cu da sua puta seu pirocudo"

Ele novamente pôs o pau pra dentro e fodeu meu cuzinho com força. João começou a meter mais rápido, forte e fundo. Ele se pôs a gemer, quase gritar, senti seu pau pulsando. Então ele segurou minha cintura e empurrou o pau todo pra dentro, lá no fundo do meu cuzinho e ficou parado. Seu pau inchou e começou a soltar porra no meu buraquinho. Aquele líquido quente invadiu meu rabo. O puto safado depois de gozar tirou o pau de uma vez do meu cu, deixando um vazio. Meu cu estava arrombado, completamente aberto por aquela pica enorme. Junto com seu pau começou a escorrer porra do meu cu e não aguentei e na mesma hora com toda aquela violência gozei novamente!

Eu estava acabado, gozei 3 vezes em menos de 1 hora, e ainda queria mais, João lavou seu pau no banheiro e disse que se eu quisesse poderia tomar um banho. Fui ao banheirinho e quando retornei João estava deitado e por incrível que pareca ainda com o cacete super duro, eu estava assado, todo doido, mas não sabia quando poderia ter um morenão daqueles na minha vida novamente, quando ele falou:

_Vem, senta aqui na minha vara!

Gente, não suportei, abri minhas pernas e sentei com aquele cacete todo no meu cusinho. João estava deitado e eu com aquela vara deliciosa toda enfiada em mim. Mas o tesão foi muito forte. João me por de ladinho no colchão e por trás levantou minha pernas e meteu. Eu comecei a me punhetar e gozei pela quarta vez, João vendo aquilo apertou as estocadas e me avisou:

_Vou gozar sua puta, vou lhe engravidar, vai nascer um Joãozinho!

Não sei de onde vinha tanta gala, mas ele me inundou novamente! Ficamos ali todos gozados por uns minutos enfim descansando, passados uns minutos João se levantou e foi até a porta da sala, deu uma olhada para a rua e pegou o celular, ligou e começou a falar com um amigo:

_Cara, esse foi o mulher cusinho que eu comi em 12 anos que trabalho aqui. Ele ta peladinho aqui no colchão. Tu quer vir aqui da pica a ele ou eu mando ele pra ir ai?

Fiquei frustado pois pensei que teria rolado algum sentimento, mesmo assim cheio de tesão pois a festa iria continua. Me levantei e fui à porta olhar. Era outro vigilante, negro também, bem mais jovem, uns 25 a 30 anos, grande também. O João foi abrir o portão. Eu me direcionei ào colchão novamente e me coloquei de bruços, encostando o rosto no colchão e ficando com o cu pra cima. Meu cu ainda estava melado de porra do João, tinha porra lá dentro ainda. 

De repente João abriu a porta e o outro vigia entrou, Cesar, ele entrou na sala, o João falou: 

_Cara, esse é a melhor puta que já comi aqui. Vou tomar banho, aproveita!

Notei o espanto no olhar do Cesar. Então eu disse: 

_João disse que você gosta de comer o cu de uma putinha. Vem ver o que esse pirocudo fez no meu cu, aproveite e meta nele também!". 

Sorri e balancei a bunda, como uma cadela abana o rabo. O Cesar olhou para os lados e João entrando no banheiro sorriu

_Vai pra cima que o negocio é muito bom!

Ele veio pra cima de mim, não quis nem saber, foi tirando a pica pra fora e enfiando no meu cuzinho melado de porra. Ele socou tudo de uma vez, me fazendo gritar de dor, eu pedia pra ele parar mas ele metia cada vez mais, tentei relaxar ao máximo meu cu, mas estava doendo, ele subiu na cama e enterrou a vara no meu rabo metendo forte e fundo. Eu gemia, gritava pedindo pra parar, mas isso parece que o excitava, pois ele metia mais e mais. O João saindo do banho disse:

_Que isso gente, vocês estão gritando demais!

Se sentou na cadeira começou a alisar minha cabeça enquanto o Cesar comia meu cu. 

João colocou o pau que novamente estava duro pra fora da calça e eu o mamei, meus gemidos agora eram abafado pela rola dura do Joao em minha boca. Que delícia, meu tesão aumentou, eu já pedia pro Igor meter no meu cu, me foder feito uma puta. Meu cu pegava fogo, Me pus a rebolar e olhar pra trás fazendo caras e bocas e mandando o safado meter e voltava a mamar o João. Não demorou muito e o Cesar tirou o pau do meu cu e gozou sobre minha bunda. A porra dele me deixou todo melado na bunda e nas costas. Ele tirou o resto da roupa e foi abrir uma lata de cerveja. Eu continuei a mamar o João que segurou forte minha cabeça e encheu minha boca de porra e ele dizia:

_Vou te foder até o dia amanhecer!

Mamei sua tora feito um bezerro e engoli seu leite. Fiz cara de puta e fui me lavar no banheiro. Foi quando entrou atrás de mim o Cesar que estava de pau duro. Ele chegou próximo ao meu ouvido, mordeu minha orelha e disse: 

_Você tem a bunda mais gostosa que já comi putinha, eu quero mais". 

O Cesar tem muita vitalidade e um cacete preto, comprido, da cabeça roxa. Meu cu ardia, até a água que caía nele fazia-o arder. Então disse que não aguentava mais dar o cu, porque ele e o Valter arrombaram meu rabo que estava ardendo. Para não deixá-lo na mão me ajoelhei e engoli sua piroca, metendo tudo na boca, até a garganta. Ele segurou minha cabeça e começou a foder minha boca. Seu pau ia a minha garganta, me fazendo engasgar e sufocar. Mamei gostoso até o puto gozar na minha boca. Que porra gostosa! Depois disso tomamos mais algumas cervejas e mais ou menos 05:30 da manhã fui embora, todo ardido, todo esporrado e com o cu ardendo, está ardendo até agora. Agora sempre que for a Montes claros já sei onde aliviar meu desejo por pica. 

Sobre o conto: É uma adaptação de uma transa que vivi no local sim com um vigilante, os detalhes dos homens como nomes são todos ficticios, sobre ter vigilantes em prédios e as histórias, também é verdade, mas a maioria não curte aparentemente sexo com homem, favor não pirar e sair procurando vigilante que come macho no centro do Recife, pode ter, mas não sei se curtem, não é uma regra a historia foi talvez uma exceção! Sobre os nomes dos locais como MKB e a cerveja da Dinha é verdade, a Dinha fica na esquina da Boate MKB no centro do Recife!

Envie seu conto ou vídeo para: contosdebanana@gmail.com

Para focar com o editor ou mandar sugestões e contos: (83) 99853-4472