sábado, 24 de fevereiro de 2018

SEXO COM O MACHÃO MOTORISTA DO UBER




Saí no sábado à noite com uns amigos para tomar umas cervejas e jogar conversa fora. Estava animado mas ao mesmo tempo esperava que rolasse algo mais naquela noite, afinal eu estava com uma turma de héteros que, mesmo sabendo qual é a minha preferência, não se importavam com isso!

Esse conto foi enviado por Cesar Santos para (contosdebanana@gmail.com), envie também o seu!

Pois bem, já se passavam das duas da manhã e ficamos só três amigos, de uma turma de onze do início. Ficamos naquela de saideira e logo fiquei zonzo de sono. Foi quando anunciei que iria pegar um Uber. Solicitei a corrida e confesso que não esperava nada de mais daquele fim de noite. O primeiro cara demorou muito para encontrar o local e acabou cancelando a viagem. Nisso eu já havia tomado mais duas cervejas, agora sozinho. Solicitei outro que chegaria em 8 minutos. Esperei, fazer o quê, né?

O cara chegou e percebi que ele era daquele tipo meio putão, calça justa, camisa apertada, cavanhaque, Aviões do Forró rolando, essas coisas. Ele me cumprimentou, confirmou meu nome e seguimos viagem. Ele perguntou se tinha algum caminho específico ou se poderia usar o GPS, eu sinalizei de que poderia seguir pelo GPS já que só havia um caminho pra minha residência. 

Fomos começando amenidades e o celular dele toda hora chegava mensagem de whatsapp. Ele não aguentou e pediu licença para ver o que era.

- É uma dona que fica me mandando mensagem, mas não sai disso - justificou.

Eu então comentei que existia muita gente que até casados ou com compromisso sentia tesão por outras pessoas mas o medo de serem discriminadas ou julgadas, ficavam nessa. Ou então era falta de coragem.

Não demorou muito e a mulher mandou uma foto pra ele. Ele me mostrou e era uma foto dela apenas de calcinha em pose sensual. Ele me mostrou e disse: Imagina o que ela tá querendo?

Eu ri e sugeri - Manda uma sua pra ela!

Para minha surpresa ele concordou e escolheu uma foto na biblioteca do celular. Antes de enviar ele me mostrou. Era ele sentado, pelado, com o pau duro apontando pra cima. Sem mostrar o rosto.

Eu fiquei surpreso por ele ter ficado tão à vontade com um estranho mas aproveitei para fazer um comentário malicioso: Nossa, isso tudo é você? Ele balançou a cabeça afirmativamente e falou - Eu dou pro gasto, né? Eu apenas ri porque não esperava que as coisas tivessem tomado esse rumo.

Como se fosse um roteiro de filme eis que a mulher liga pra ele. Ele colocou no viva voz e começou a conversar com ela.

- E aí, tá fazendo o quê?

- Você é um enrolado. Até hoje espero você me ligar! Respondeu a criatura.
- Trabalhando muito, mas vou encontrar um tempo pra ir na sua casa te arrombar toda!
Ela deu uma gargalhada, como se tivesse duvidando, ou da visita ou das pretensões sexuais dele.

- Tá duvidando? Ele perguntou. Tô com um passageiro agora, se você confirmar, ou passo hoje ainda aí porque tô doido pra comer um cu!! 

Nossa, senti que aquilo era uma deixa pra mim.

Passei a observar melhor o macho e notei o volume na calça já avantajado. Não pensei duas vezes (a bebida ajudou também) e, enquanto ele falava putaria ao telefone, passei a mão nas suas coxas e ele imediatamente abriu as pernas. Tomei aquilo como um "tá liberado!" e já fui alisando seu mastro por cima da calça. Ele desligou o telefone e voltou a conversar. Enquanto eu ficava alisando sua pica, ele ficava perguntando o itinerário. Foi estranho porque ele não pedia pra parar mas ao mesmo tempo se comportava como se nada estivesse acontecendo. Foi quando chegamos à porta do prédio. Isso já eram quase às três da manhã!

Ele encerrou a corrida e, para minha surpresa, começou a abria a calça e me mostrou a pica dura sob uma cueca branca.

- Veja aí! Ele me autorizou.
Eu já fui colocando o pau dele pra fora e comecei a masturba-lo.
- Dá uma chupada! Ordenou
Comecei a abocanhar e ele a arrear mais a calça. Dei uma lambida nos ovos e o cara arrepiou!

- Rapaz, você mora sozinho? Perguntou.
Eu respondi - Não, mas hoje estou sozinho em casa.

Ele fechou a calça e pediu pra subir para que gente ficar mais à vontade. Nossa, não esperava que fosse rolar alguma coisa e de repente eu já estava no elevador com esse cara.

Chegamos no apartamento e eu lhe ofereci uma bebida mas ele não queria perder tempo. Foi logo abrindo a calça e a pica parecia que não tinha amolecido um só segundo.
Caí de boca e percebi que ele não iria querer só isso pois já havia tirado a camisa e já deslizava os tênis e calça. Eu prontamente tratei de tirar o que faltava, a cueca. Me vi com esse cara pelado no meio da sala e eu de joelhos chupando seu pau.

- Deixa eu botar no seu cu? Ele pediu. 

Tirei minha roupa e o levei para o quarto. Lá deixei-o deitado, agasalhei o mastro e fui sentando na caceta que não parava de pulsar. Depois de me acostumar com o volume, cavalguei e o cara jorrou muita gala quente no meu cu, dentro da camisinha.

Da mesma forma que chegou e tirou a roupa, ele se arrumou. Foi no banheiro, acertou o cabelo e me disse: Velho, não esperava uma foda como essa pra hoje! Adorei seu cu. Nunca tinha comido cu de macho mas acho que agora vou querer sempre.
- Se quiser repetir é só me avisar, eu lhe disse lhe dando o meu número.

Ele foi embora e eu o qualifiquei com cinco estrelas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário