sábado, 3 de março de 2018

TRANSANDO COM MEU VIZINHO DEPOIS DE UM DIA DE CACHAÇA | SEXO NO APÊ



Olá! Como quem acompanha os meus contos já sabe, eu sou uma pessoa real, casado, mas que aqui e no Blog "Contos de Banana" eu me identifico por Escritor ou Mr. Banana, tenho pouco mais de 30 anos, moro em São Paulo, mas adoro contar histórias reais (Sempre reais) de amigos e gente safada como eu que adora sexo. 

Hoje vou contar a primeira de algumas historinhas que me meu amigo Fabinho do Recife me contou, vou narrar em primeira pessoa pra ficar mais fácil já que ele me contou essa história que lembro, é real.

Era noite de sábado e eu estava num bar pertinho de casa com uma turma de amigos, na zona norte do Recife, começamos a beber a tarde e entramos pela noite, no inicio da madrugada fui pra casa com um amigo, quando ninguém aguentava mais beber, moro num prédio de classe média, sou solteiro, tenho 180m e 90kg, e tenho 26 anos. Quem me acompanhou foi o Julinho, ele tinha 18 anos na época, 180m e 80kg, um branquinho na puberdade querendo gozar muito...

Conversamos um pouco na recepção, tava afim de que o Julinho fosse embora pra eu arriscar alguma coisa com o novo porteiro, mas ele não foi. Então fui pro meu apartamento e Julinho por dele, um andar de diferença, mas assim que entro em casa, meu telefone toca, e é Julinho querendo conversar um pouco mais. Aceitei e fomos falar de bobagens, até que ele entrou no assunto sexo, quando falei de sexo ele disse que tava muito tempo sem sexo e que geralmente as parceiras dele não aguentava ele. Nesse momento eu disse que ele tava conversando demais. Ele queria esticar a conversa e perguntou se na minha casa não tinha nenhum filme porno, eu disse que tinha na TV a cabo, daí ele SE convidou pra ir assistir na minha casa e quase mandando ele ir dormir eu aceitei. Julinho era gostosinho, mas não fazia meu tipo, era muito jovem, não era meu plano de sábado a noite.

Já eram quase 2 horas da manhã quando ele entrou no apartamento, já feito um louco pedindo pra assistir o filme, coloquei e na mesma hora dele começou a coçar o pau. Ele perguntou se meu tio tava em casa e eu disse que tinha ido viajar. Ele sem cerimonia colocou um cacete enorme pra fora e disse que ia bater uma ali,mas ia gozar no banheiro. Neste momento foi que entendi porque Julinho tinha tantas namoradas. Que cacete lindo e gostoso, tinha uns 20cm, grosso e um sacão pra idade dele. Ele disse então que ia gozar no banheiro e foi. Fiquei um pouco decepcionado porque achei que ele tava afim de algo comigo, não queria verdade, mas quando vi aquele cacete eu me animei. Mas... Juninho voltou, disse que não tava conseguindo gozar e pelado cai em cima de mim no sofá e me dá logo um beijo. Achei muito estranho, mas retribui, e ele disse:

Cara, preciso de um cu hoje, me da o teu, macho!

Fingi que não gostava, mas que por causa da cachaça eu iria aceitar. Me virei de bruços e Julinho meteu sem camisinha, no osso, ele bombava muito até pela sua idade e virilidade, mordia minha nuca e me chamava de seu machinho. ele tirou e começou a morder minha bunda e me beijar. Ficamos um tempão ali nos beijos e várias posições até que Julinho gozou no meio das minhas pernas e eu junto com ele. Como meu tio só voltaria na segunda-feira deixei ele dormir comigo. O ruim foi quando acordou e o efeito da cachaça passou, Julinho não era mais o mesmo, nossa amizade mudou um pouco e nunca mais rolou nada.

Esse foi o conto do Fabio do Recife, acompanhe meus contos que teremos novos historias, inclusive quando ele pegou um motorista de uma ambulância.

Mr. Banana! (11) 95301-9443
Foto ilustrativo de um amigo do escritor

Nenhum comentário:

Postar um comentário